13 MANHÃS


Acordei nesta cidade um dia, se não fossem as noites em claro e tudo que ocorria durante ela, não teria estas manhãs para me lembrar....


MANHÃ 1



A campainha bébébéèéé

Dormia fazia pouco, apagada na sala com a cara esmagada. Um pé enorme a deformava forçando-a a ficar ali. Com algumas babas em volta e um cheiro etílico exalando a cena.

Bééééé,

Continuaava a malditaaaaaaaa!!!

Em um impulso voei pela janela, assustando o dono do dedo que à apertava .Bééééé´. cabelos negros e pele sardenta. Antes de cair gritei.

-Tá loco?!!Tá loco!? Foraaaaa!!!

Horas mais tarde semi refeita da noite anterior, lembrei do ocorrido.

Os sobrados são todos iguais

Fui no vizinho que estava com o dono das sardas ao seu lado.

- Oi - eu disse.

Respondeu-me com um sorriso farto que lhe mostravam os aparelhos azuis.

-Achei que você fosse mais alta... E mais violenta!


MANHÃ 2



Meu olho abriu, mas meu cérebro continuou parado, conseguindo fixar a retina observei carne ao meu lado, aiiiiii de novo carne!!

- Falou carne! Ontem devo ter te achado especial.

Não era meu quarto. Droga!

Mas deu para flutuar a tempo de não ser puxada pelo pé, a realidade não me pegou novamente.

Na rua pessoas indo, e eu que ainda estava vindo. Ninguém olhava, ninguém sabia.

A não ser o cachorro que veio displicente enfiou a fussa no meu traseiro e sentiu o cheiro da noite.


MANHÃ 3


Um cheiro suave invadiu o ambiente abri os olhos, lençóis limpos não fosse minha baba empestiando o travesseiro.

A vi, face com face, rosto delicado olhos vivos, frescor, com um sorriso me chamou pra o café.

O susto foi maior que o usual

Mesa posta. Até toalha.


MANHÃ 4



Me mexo tudo dói...

Sinto um cheiro insuportável. Como daqueles tiozinhos que puxaram a carroça o dia todo, terminam seu dia no bar e acabam por dormir em uma calçada qualquer enquanto tentam chegar em casa.

Constato.

Vem de mim.

Estou melecada com os braços vermelhos e grudentos, reparando bem esta mancha esta por todo o meu corpo.

Minha cabeça dói, mais que o usual. O estomago embrulhado arranha, a boca seca e grudada.

Odeio ressaca de vinho barato.


MANHÃ 5


Estava cedo, dei uma espreguiçada.

Que estranho.

Não entendi direito... não estava sentindo nada, tudo parecia tão absurdamente normal...

Então lembrei.

Droga!

Não sai ontem, não fiz nada ontem, simplesmente assisti um filme e dormi

Tinha então uma manhã inteira para fazer algo...


MANHÃ 6


Susto!

Ui, Onde estou?

Acordei com um tremilique. Consegui olhar somente o teto que ameaçava a cair

Não é minha casa. SACO!

Senti um molhado pelas pernas.

Droga, não quero nem ver...Tentei me mover, uma gosma escorria do lado de meu corpo segui o caminho inverso do liquido a cor e o cheiro competiam pelo o que era mais repulsivo.

Antes de conseguir chegar a quem desenvolvia tais conteúdos outra gosma muito parecida começou a jorrar de dentro de mim.


MANHÃ 7


Mais que carne, é substância.


MANHÃ 8


Não esqueci da noite, ainda entorpecida lembrava do tufão que passou pelo meu corpo.

Furacão... estupor. Tamanho foi o ímpeto que ...Pensei até em amor.

Mas como é vento foi...fugaz... torpor

Deixando o rastro de sua brisa que se tornou suave.


MANHÃ 9


Eu, que escrevo, em plena faculdade de meus atos, dotada de completa consciência, declaro:

Sou doida...

varrida.


MANHÃ 10


Alô! Quem é Caralho?

Oito horas da manhã tinha acabado de conseguir dormir.

OI, aqui é o cara que te deu carona para Assis outro dia...

Oi. Nossa, Tudo bom?

Estou ligando porque vou para Londrina, meio-dia, quer uma carona?

Londrina? A seilá, legal... Topo. Brigada.

Desliguei pensando o que faria de bom em Londrina.


MANHÃ 11


-Eiii, eiii acorda. Estão te chamando lá em baixo...

Hum? A voz veio antes de eu me fixar no lugar que estava. Reconheci meu quarto, que bom, a quanto não acordava nele...Vi a pessoa na minha frente.

-Tem um cara ai fora querendo falar com você.

Que? Levantei em um impulso, não sei porque levantei, mas o fiz, pus o primeiro pano que encontrei e desci as escadas xingando o ser que me acordou.

-Oi, lembra de mim?

Era uma bomba de um cara que um dia entrou numa festa em casa quando já eram 8 da manhã e quase não nos mexíamos a não ser pelos movimentos dos narizes.

-Não.

Ele quis me fazer lembrar, enquanto isso eu tentava me equilibrar sobre algo que chamavam de corpo.

-Fala logo porra.

-Então queria fazer uma balada ai,

-O que?!

-Estou com uns amigos tenho uns goró.

-São nove da manhã, olha pra minha cara.

-È ta péssima mesmo... Mas eu e meus amigos viemos de tão longe...

-Se ta me tirando né cara?

-Beleza então, valeu viu.?

Disse o sujeito embravecido.


MANHÃ 12


Outra vez alguém a me cutucar...

-Hum? Resmunguei apenas para parar de ser balançada.

-Tem uns caras ai na porta.

-Aiii que se fodaa.

-Eles estão acompanhado da policia.

-O que? Levantei no susto mais rápido que o corpo podia suportar, a tontura e o enjou veio de imediato. Corri para o banheiro e um liquido esverdeado saiu de dentro de mim.

Caralho!

Desci sem nem lavar a boca, no meio da escada reparei, estava só de camiseta e calcinha.

Que se foda também.

Era o cara da luz, conhecido já, vinha cotidianamente me cortar a luz.

-Oi- ele me disse com desdém...

-Corta logo esta porra.- Ordenei pela janela.

-Desta vez não é só isso.- Disse com satisfação, o sujeito que não podia aceitar tanta displicência para com a luz, ainda que isto é que lhe rendia um emprego.

-São 6 cortes seguidos você deve comparecer a companhia de luz para dar satisfações.

-Como assim? Nunca ouvi falar disso?

-Bem. -Ele sorriu satisfeito. -Se tivesse lido os papeis que te entrego antes de jogar no chão...

O policial me entregou o requerimento de comparecimento.

-Puuta!


MANHÃ 13


Não dormimos, ninguém...

Esperamos o alvorecer fugindo dele,

não acabe não acabe.

Medo de que tudo aquilo virasse nada depois.

Foi o que sentimos todos juntos, mas não falamos, não escutamos. Esperamos.

Não acabe.


Inspirado em "13 pesadelos" Diane di Prima



imagem: "o pesadelo" Fuseli

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. pequenino do cabelo grandão8 de setembro de 2009 18:46

    se eu não te conhecesse diria singulares manhãs!...diria até mesmo sublimes..rs no entanto posso dizer saudosas! poderiam até se confudirem com as minhas, mas o fato é que ninguém! ninguém! consegue me acordar pela manhã depois de uma noitada boa..rsrsrsrsr bj.

    ResponderExcluir
  3. Aparentemente tão ficcional, mas com um fundo imenso de realidade...

    ResponderExcluir

faça o que tu queres! agradeço a interação

Related Posts with Thumbnails